A aura perdida

Em “A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica”, publicado em 1935, Walter Benjamin introduz o conceito de “aura” para distinguir a reprodução tradicional da reprodução técnica. A aura teria três características: inacessibilidade, originalidade e autenticidade, que inicialmente podem ser resumidos no “aqui e agora”. Quando um pintor na antiguidade criava uma obra de arte o valor estava justamente no “feeling“, naquele lampejo único que determinou os traços e que ninguém poderia copiar. Caso a obra precisasse de cópias o próprio pintor fazia as reproduções, que em grande maioria eram em pequeno número. Essa aura, esse traço ímpar na reprodução técnica foi perdido.

A fotografia e o cinema, para o autor, foi marcante para essa transição e perda da aura, pois o que vemos não é o momento, mas imagens editas pelas lentes. Por outro lado, as câmeras permitiram que detalhes não percebidos a olho nu fossem vistos, como o efeito de câmera lenta para observar o bater das assas de um beija-flor. A essa possibilidade Benjamin chama de inconsciente óptico.

Se os antigos tomavam tempo para observar e cultuar uma arte, como feito nas galerias de arte, a percepção da obra era completa. Com o avançar da tecnologia, a chegada do cinema e da televisão a aura foi perdida e a reprodução tornou-se em massa. Quando assistimos a um filme ou a um programa de televisão não contemplamos o original como nas galerias de arte, mas consumimos uma cópia do original e nossa percepção da obra é diferente. Essas cópias geralmente são alteradas, como no caso dos filmes  e programas que são editados ou das pinturas estilizadas.

Se por um lado a reprodução técnica eliminou o caráter único e contemplativo da obra, por outro ele impulsionou um mercado, impulsionou o comércio e contribuiu para a difusão da arte. Se essa contribuição desqualifica a obra é uma questão, mas de fato, hoje, pessoas que nunca pisaram em uma galeria conhecem diversas obras e artistas. A única certeza, segundo Benjamin, é que a obra arte ganhou um novo status e teve sua estética tradicional abalada.

INDUSTRIA-CULTURAL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s