O efeito especial narrativo da Complex TV

Em “Complexidade Narrativa na Televisão Americana Contemporânea”, Jason Mittell introduz um novo modelo de storytelling: a Complex TV (complexidade narrativa). Segundo o autor, o surgimento da complexidade narrativa foi influenciado por quatro fatores: o desenvolvimento industrial, criativo, tecnológico e participativo. Apesar de estar presente em grande parte das narrativas ficcionais seriadas estadunidenses contemporâneas, a Complex TV não é uma estrutura convencional. Tramas como, por exemplo, Lost, Homeland, The X Files, The Sopranos e Arrested Development, materializam o modelo proposto por Mittell.

Para o autor , a Complex TV tem como ponto central a redefinição de formas episódicas sob a influência da narração em série, entretanto o modelo também possui outras características como a ausência de setas chamativas, a multiplicidade de linhas narrativas, o uso de recursos de storytelling e os efeitos especiais narrativos.

Os ‘efeitos especiais narrativos’ podem ser observados nas narrativas ficcionais seriadas estadunidenses a partir de duas lógicas: através das reviravoltas ao longo dos episódios ou da temporada e/ou na violação das regras de narração.

Segundo Mittell, na primeira lógica a trama nos obriga a reconsiderar tudo o que vimos até então. Este recurso foi muito utilizado na série Lost (ABC), grande parte dos arcos narrativos do programa eram estruturados a partir de uma brusca mudança nos acontecimento da trama. De certa forma é como se os roteiristas mudassem o rumo dos plots em aberto da história a todo tempo.

Exibida pelo canal pago estadunidense Showtime, a série The Affair tem todos os seus arcos narrativos pautados a partir deste elemento destacado por Mittell. A história central da trama é contada  sob o ponto de vista de quatro personagens, desta forma a cada novo episódio o público tem acesso a novas perspectivas.

Segundo Jason Mittell o ‘efeito especial narrativo’ também é caracterizado pela violação das regras de narração, neste elemento toda a linguagem da série é alterada. Como, por exemplo, no episódio de Modern Family ‘Connection Lost’, exibido pela ABC. A trama se passa ‘dentro’ das interfaces dos aparelhos da Apple.

Esta nova estétetica proposta pelos roteiristas da comédia, alterou não só o desenrolar da história, mas principalmente a experiência do telespectador. “[…] o público aproveita não somente as reviravoltas diegéticas mas também as técnicas de narração excepcionais necessárias para realizar tais maquinações – regozijamo-nos tanto pela história que está sendo contada quanto pela forma com que esse contar rompe com as regras da produção televisiva”(p.45) , afirma Mittell.

O autor pontou que muitas vezes os roteiristas usam essas pirotecnias narrativas para que a trama não caia na repetição. Como foi o caso da série Grey’s Anatomy, que ao longo de suas doze temporadas na emissora ABC já teve sua história transformada em documentário, musical, etc.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s