Novos rumos da complexidade narrativa

A inovação estética provocada pelas complexidades narrativas na televisão americana, encabeçada por produções como Twin Peaks e The X-Files são, além de sucesso de público e crítica, alternativas às formas episódicas contidas nas realizações norte americanas desde sua origem. De acordo com Mittell (2006), a complexidade narrativa deve ser compreendida como um modelo diferenciado de narração cuja fruição é mais rica e multifacetada.

Os sucessos dos seriados que utilizam a complexidade narrativa excederam os limites da televisão aberta e da televisão a cabo, migrando também para a internet, onde a empresa Netflix, criada em 1997, oferece hoje serviço de televisão por internet para mais de 70 milhões de assinantes. Além de dispor de séries oriundas de canais como a HBO e AMC, a empresa também possui produções originais, que utilizam da complexidade narrativa em seus roteiros e composições.

Suas produções, como a recente Jessica Jones reduz a fragmentação entre capítulos, sendo estes ainda mais dependentes do anterior para melhor compreensão do roteiro. Na trama, Krysten Ritter interpreta a personagem homônima, uma ex super-heroína que, depois de sua carreira, abre uma agência de detetives. Além de enfrentar problemas cotidianos, Jessica sofre abusos mentais e psicológicos. O show mostra, além do medo e fragilidade da protagonista, uma heroína humana e forte, de maneira inovadora na representação da mulher nas adaptações de hqs.

Ainda de acordo com Mitell, as transformações tecnológicas também foram fatores impactantes para a narrativa televisiva: a ubiquidade da internet deu, aos fãs, “uma inteligência coletiva na busca por informações, interpretações e discussões de narrativas complexas que convidam à participação e ao engajamento” (MITTEL, 2006, p. 35). Em Jessica Jones não é diferente: as claras referências à Demolidor, outra série produzida pela Netflix e ambientada nas mesmas imediações que Jessica Jones faz com que o espectador compreenda o universo Marvel composto não só os dois seriados mas outros três, sendo o último deles uma junção dos heróis de cada trama com um inimigo em comum em uma minissérie especial. Além disso, o comportamento ativo do público é instigado pelos easter eggs, pequenos presentes ocultos na série para os fãs, geralmente discutidos em fórums e listas online.

 

REFERG.jpghttp://avengers-ofbrasil.blogspot.com.br/2015/11/jessica-jones-todos-os-easter-eggs-e.html

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Novos rumos da complexidade narrativa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s